Indicado pela minha amiga Zilda do Blog Somos todos aprendizes

Trajetos De Uma Estrada

Trajetos De Uma Estrada
Esse é o meu primeiro livro (Trajetos De Uma Estrada)

terça-feira, 19 de maio de 2009

Aos amigos que prestigiam meus escritos

Meus caros amigos!
A Nova Coletãnea através do amigo Bruno Ramos Resende e seu belo trabalho de publicação e dvulgação de novos escritores acaba de lançar na nona Bienal do livro de Salvador A Antologia "Contos e Crõnicas" para viagem.
Nessa Antologia tem um trabalho meu intitulado "Quando a bondade prevalece"

Aqui há alguns comentários e eu quero dividir com vocês.



Mariano Pereira de Souza - Escritor da Nova Coletânea
Mariano Pereira de Souza é poeta, contista e músico. Nasceu em Laje, no Estado da Bahia, perdeu seus pais quando tinha 2 anos, período em que foi morar com os avós. Após os seus 18 anos, mudou-se para São Paulo, onde vive até hoje. Casado com Elizabete da Silva Souza, tem um casal de filhos adolescentes, os quais julga serem suas jóias. Adora escrever por considerar a escrita um meio de registrar os degraus da escada da vida: alegrias, tristezas e façanhas ; sobretudo, quer passar o sentimento que tem aos leitores.
É ele que diz em sua poesia O próprio carisma em pessoa
-----------------------

Estou voltando pra mim,

buscando o meu eu.

Revelando minhas certezas,

no centro do meu universo,

relembrando pequenas coisas,

mas que, pra mim, representam tanto...


O escritor tem grande sensibilidade e um trato peculiar com as imagens que sugere por meio de suas metáforas ou pela personalidade delineada de seus personagens. O fio emocional do discurso sempre revelará uma questão humana emocional ou familiar a ser trabalhada e desenvolvida. O amor em todas as nuances empreende uma verdadeira luta para se consolidar como resultado benéfico à vida de quem lhe credita a devida importância. Não foi diferente na narrativa que compôs para a antologia "Contos e crônicas para viagem". A obra "Quando a bondade prevalece" traz uma leitura composta de certa dramaticidade, o que desperta em nós o desejo de ver seus personagens alcançando a meta ideal da "iluminação", da valorização do ser e do AMOR. Mariano Pereira de Souza faz prevalecer em tudo o que escreve o sentido existencial do ser. Define com muita beleza o sentido da palavra "pai" e da palavra "filho". Defende, assim, em seu texto a idéia de que "se colhe aqui somente o que se plantou". Através da vida de seus personagens mostra o destino que é reservado àquele que vive pautando suas ações em objetivos mais autruísticos . Saimos do seu texto tocados profundamente pela história que narra –como cita no poema acima– "pequenas coisas que representam muito ao seu universo, revelando, assim, suas convicções e certezas".
Parabéns Mariano
O Organizador



Mensagens dos autores da Nova Coletânea sobre o trabalho do escritor Mariano Pereira de Souza:

Quando a bondade prevalece.


Fala Maria Angélica R. Generoso a convite do organizador


O Mariano me faz sentir muito à vontade junto ao projeto que sabemos ser de inclusão, mas que mesmo sendo assim, seleciona uma comunidade sensível e amadurecida para falar o que o mundo precisa ouvir. Reconheço na sua prosa o mesclar da poesia e a valorização da pessoa humana hoje mergulhada em meios ao fenômeno absurdo da insensibilidade, à falta de humanismo, afeto e amor verdadeiro. Um escritor para qualquer tempo e para este em que vivemos de um modo tão especial. Soube que era músico... Logo entendi que aí estava o poder de suas palavras chegarem ao nosso interior com tanta sensibilidade e verdade. Quero aqui parabenizá-lo pelo brilhante trabalho junto ao projeto e desejar que recolha os melhores frutos do seu talentoso exercício através da arte. Ao Bruno agradeço a oportunidade de trazer essas singelas palavras ao colega com quem já caminho junto a algum tempo exercitando nosso carisma literário.
Com cordialidade,

Maria Angélica R. Generoso

Livre Pensar Literário

Sobre a OBRA "Raízes" no livro "Poemas e Outros Encantos"
"Mãe, estou de volta"... Mariano, é realmente um observador e une aqui a literatura com suas outras habilidades artísticas. Podemos ouvir uma música ao fundo e a emoção latente que envolve o personagem perdido de si mesmo e pintar um quadro pelo sugestivo cenário que ele cria em nosso imaginário. O personagem procura sua raízes de modo contundente:

"Mãe, estou de volta, "... Aqui, o retorno à mãe é um retorno a seu elo perdido, à sua raíz, talvez inconscientemente quisesse reproduzir as sensações da infância, sentimento comum nos que se acham a percorrer pela vida caminhos distantes da sua realização emocional.

..."tudo está diferente ou (inexiste). Não achei o caminho, nem aquela cajazeira que ficava à beira daquele caminho"...
O que supriria o desejo do nosso personagem, essa pessoa comum, sobrevivente das grandes cidades, perdido em grandes vielas, longe dos afagos, da segurança, dos cheiros, da alegria e da experiência de reconhecer-se em tudo que está a sua volta, um tudo que muda a todo instante?

Mariano P. de Sousa, é um revelador do espírito irrequieto que toma aqueles que estão pelas grandes metrópoles. É um prosador poeta. A linguagem sempre expressiva e conveniente fala-nos do que é essencial. Sou, não de outra maneira, um admirador confesso dos seus trabalhos e o leio nas diversas páginas que voluntariamente expressa toda a sua musicalidade e o bem lidar com as palavras.

Quem é ele? O que faz?

É só ler o que ele próprio diz de si:

"Estou aprendendo a amar como uma criança aprende as cores, vou vendo em pequenos gestos, despercebidos aromas e flores. Estou aprendendo que o amor se vive, em qualquer lugar, em extremos da vida. Na chegada ou despedida pode se amar. Estou aprendendo a amar, num olhar triste, nas mãos frias a tremer ; na palavra que não saiu, mas se ouviu o que queria dizer..."



Edir Resende também diz:
Oi Mariano,
Estou conhecendo seus trabalhos. O Raízes é um encanto. Nele nós podemos viajar pelo nosso passado trazendo as boas coisas que a vida nos deu. Que saudade! e quem não sentiu isso na pele? Um belo trabalho que não pode cessar. Continue a escrever essas belas histórias. Eu quero ler tá bom?

Beijos


Fonte!novacoletanea.blogspot.com

10 comentários:

Paulo-Roberto Ândel disse...

é, rapá, todos os parabéns!

sobre o radinho, que bons tempos, aqueles. e o sinalzão da globo, da nacional e da tupi, todos repercutindo no maracanã com 100000 pessoas semanalmente?

brax de siempre.

Ricardo Calmon disse...

Meu Bom Cunpadi Mariano:

Feliz em saber que mermão escritor é com publicações e coletâneas!
I Vamu qui vamu,meu bom Mariano!

Viva a Vida!

Bernardo Miranda disse...

Estamos juntos, meu garoto!
Teu espaço também está muito bacana!!
forte abraço e parabéns!

Mariano P. Sousa disse...

Prezados amigos!
Paulo , Calmon e Bernardo!
Obrigadão pelo carinho!
Forte abraço!

Marcos Santos disse...

Parabéns Mariano!

Escrever é uma paixão e ter os escritos reconhecidos, sem dúvida é uma realização.

Forte abraço!

Rosemari disse...

Parabéns concordo com todos os comentários a seu respeito e a respeito de sua obra.
Escritor de grande sensibilidade que traduz o coração de um homem carregado de paixão pela vida!!

Mariano P. Sousa disse...

Rose e Marcos!
Obrigadão, vocês moram no lado esquerdo do meu peito!

Bruno R.Ramos disse...

O Mariano, como vocês podem perceber, é esse "gentle man" com uma capacidade interlocutiva e tanto. Dada sua participação a Nova Coletânea viu-se enriquecida de valores e qualidades imprescindíveis ao seu trabalho. Tê-lo junto a nós nesse projeto de inclusão é uma grande vitória.

Abraços

Lau disse...

Sempre fui sua fã, amigo Mariano!!!

Parabéns e sucesso!!!

Um beijo

Mariano P. Sousa disse...

Obrigadão Brun o e Lau!
Pelo carinho!