Indicado pela minha amiga Zilda do Blog Somos todos aprendizes

Trajetos De Uma Estrada

Trajetos De Uma Estrada
Esse é o meu primeiro livro (Trajetos De Uma Estrada)

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Nesse sol, só

Nesse sol, só

De onde estou só,
sou sol, sobrando
entre nuvens.
Sonhando, me dando,
num aprecio
voltando a um tempo
em que estas nuvens
eram límpidas.

Ai! – Meus olhos ardem!
Alarde,
há pimenta nos ares
mas esses azares
persistirão enquanto o descendente
de certo primata,
persistir no ato
de fingir que protege
o seu habitat.

Nesse sol, só!
-O que há com meu nariz?
-Ele me diz,
há algo errado
não um resfriado,
efeito do efeito,
denominado estufa.

Nem brisa, nem lufa
e eu só a assoar.
Visão olfato,
natural ou artificial,
vamos consertando
é preciso paliar.

Apagar os focos,
são incêndios diferentes
na conscientização.
Respeitando o que ainda temos,
ao contrário seremos

e seguiremos em vão.

Mariano P. Sousa

2 comentários:

Orvalho do Céu disse...

Olá,
Um jogo de palavras divino!!!
Deu muito ritmo à Poesia... Parabéns!!!
Abraços fraternos de paz e bem

Mariano P. Sousa disse...

Olá Orvalho do céu!
Obrigato pela visita e atencioso comentário.
Abraço!